segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

HERESIAS NO MEIO EVANGÉLICO!

Há desde confissões que Deus morreu na cruz, á anjos que assumem o ministério do Espírito Santo”

O famoso pregador sobe a tribuna (púlpito). Faz uma excelente apresentação de sua pessoa, uma oração fervorosa e em seguida dá início á sua pregação. Vinte minutos depois, ele solta um grito com voz firme: “Deus vai enviar nesta noite o anjo do consolo, que estará ao seu lado 24 horas por dia. A partir de hoje, sua vida não será mais a mesma”. O povo vibrante se perde num tremendo barulho de glórias a Deus e “aleluias”, e línguas estranhas. Mas ninguém atentou para o grande absurdo e ofença teológica: Um anjo toma o papel do Espírito Santo na vida do crente, e passa a ser o canal de segurança nos momentos difíceis da jornada cristã.
É o que tem acontecido diariamente em nossos púlpitos pelo Brasil a fora. Pregadores dos mais diversos estilos, conferencistas que se dizem internacionais, homens que se auto intitulam "teólogos" e cantores cuja inspiração passa longe da verdade bíblica. Um verdadeiro show de heresias dos mais importantes assuntos da Bíblia.
Em meio a tudo isso, os crentes fiéis à sã doutrina, perguntam: O que está acontecendo com nossos pregadores e ministros? Por que as pessoas insistem em cometer tamanhos erros? Como os pastores e líderes devem evitar tal constrangimento? Por que os crentes ainda aceitam esse tipo de golpe contra a Palavra de Deus e ainda pagam por isso?
Quero neste pequeno espaço lhe responder de forma sincera e coerente a todos estes questionamentos e compartilhar a realidade do que está acontecendo no universo evangélico.

O que é uma heresia? E quando ela é exposta?

Primeiro precisamos saber o que vem a ser uma heresia.
A palavra heresia está interligada a palavra seita. Ambas derivam da palavra grega “ háiresis”, que significa escolha, partido tomado, corrente de pensamento, divisão, escola etc. A palavra heresia é adaptação de “háiresis” . Quando passada para o latim, “háiresis” virou “secta”. Foi do latim que veio a palavra seita. Originalmente, a palavra não tinha sentido pejorativo. Quando o Cristianismo foi chamado de seita (At 24.5), não foi em sentido depreciativo. Os líderes judaicos viam os cristãos como mais um grupo, uma facção dentro do judaísmo. Com o tempo, “háiresis” também assumiu conotação negativa, como em 1ª Co 11.19; Gl. 5.20 e 1ª Pe. 1.1, 2.
Em termos teológicos, podemos dizer que seita refere-se a um grupo de pessoas e que heresia indica as doutrinas antibíblicas defendidas pelo grupo. Baseando-se nessa explicação, podemos dizer que um cristão imaturo pode estar ensinando alguma heresia sem, contudo, fazer parte de uma seita.
Não podemos também confundir heresia com erro de interpretação bíblica. Ou seja, uma heresia é todo o argumento que tem poder para ferir os Fundamentos da Palavra, a ortodoxia cristã. Erro de interpretação é quando um cristão, dedicado ao aprendizado bíblico, passa uma informação errada a respeito de determinado texto, podendo ele depois reconhecer seu erro e continuar na busca do saber.
Não podemos sair por aí “caçando as bruxas”, chamando todo mundo de herege por simples erros de entendimento teológico.
O que estamos trazendo aqui são questões de profunda seriedade doutrinária. Ensinos em propagação que atingem as bases da fé.

Onde estão essas heresias?

Elas surgem por meio de mensagens até mesmo de famosos pregadores e até em louvores, por falta de atenção aos ensinos da Bíblia. São frases de grave impacto espiritual, que encontramos até mesmo em nossa literatura. Declarações conflitantes com a pura teologia e pensamentos expostos sem nenhuma base ou fundamento real. Verdadeiras metralhadoras de confusão doutrinária.
Quero aqui aproveitar a oportunidade e expor minha admiração  pelos pastores Silas Malafaia e Carvalho Jr. Homens que com mensagens e pregações no poder do Espírito tem sido exemplos de verdadeiros defensores da fé, quanto ao assunto em questão. Precisamos de pregadores nos perfis desses dois ministros do Evangelho.

Mas afinal, que perigo essas heresias possuem?

No exemplo que mencionei no início do artigo, o mais grave perigo revela-se na exclusividade angelical transmitida pelo orador e no enfraquecimento e rejeição da ação do Espírito Santo na vida do crente fiel. O tal “anjo do consolo” passa a ser exigido nas situações mais difíceis da jornada cristã, deixando de lado a verdade de que o nosso Consolador é o Espírito Santo, É Ele que está na vida do crente e conhece todas as suas fraquezas e necessidades. O Espírito Santo orienta, fala, nos dá direção. “E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre. Mas aquele Consolador, o Espírito Santo a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto eu vos tenho dito”. (João14.16, 26).
As heresias causam também confusões doutrinárias que são capazes de esconder os fundamentos da Verdade, excluindo muitas vezes a divindade de Jesus, a onisciência de Deus e até mesmo o verdadeiro ministério do anjos. As heresias criam falsas interpretações bíblicas.

Por que tais pregadores insistem em cometer tamanhos erros? E por que os crentes aceitam?

Muitos pregadores estudam a Bíblia, mas, não de forma sistemática, dando a atenção merecida. Não se preocupam com o fundo teológico que está interligado com o pano de fundo cultural, social e doutrinário. Leem texto sem contexto, e quando então mencionam algum versículo, tiram conclusões imaginárias criando, assim, uma grande contradição entre os ensinos da Palavra de Deus. A maioria dos cristãos aceitam tais absurdos, por não conhecerem de forma clara a seriedade dos efeitos espirituais que muitos falsos ensinos causaram. Os “pais da Igreja” muito sofreram para enfrentar as heresias primitivas que tentavam destruir as bases do cristianismo. Muitas heresias foram pregadas pelos próprios ministros cristãos da época, que foram combatidos nos concílios.

Exemplos de heresias no meio evangélico
Nos louvores: Há um louvor que diz “eu fui no terreno do inimigo e eu tomei tudo que me roubou...Debaixo do meu pé... Satanás debaixo do meu pé”. Precisamos entender que, o que o Diabo tirou do homem, Cristo resgatou na cruz do calvário. E mais, ele não tem terreno e nós menos ainda poder para tirar algo dele. Deus tem todo-poder. Satanás não está debaixo de nossos pés e sim ao derredor. Leia Rm 16.20. A própria Bíblia nos esclarece quando diz: "E o Deus de paz esmagará em breve Satanás debaixo dos vossos pés" - Rm. 16.20. Em breve! a hora vai chegar.
Outro louvor diz: “No caminho do Golgota lá foi Deus...” O louvor afirma que Deus morreu!

As 10 heresias mais propagadas

Apenas dez das centenas de heresias e erros teológicos cometidos pelos não zelosos.

1. Deus vai colocar arcanjos e querubins para te proteger!
2. Nós salvos, seremos como Deus, eternos!
3. Cristo é vida!
4. A trindade? Três manifestações de Deus!
5. Deus morreu na cruz por você!
6. A Bíblia contém a Palavra de Deus.
7. Um dia todos nós morreremos!
8. O Espírito Santo é o fogo de Deus!
9. Oremos: ...em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, amém.
10. Sai demônio! Pelo sangue de Jesus.


Refutando as heresias mencionadas


1. Deus vai colocar arcanjos e querubins para te proteger!

Essa frase fere a hierarquia angelical organizacional estabelecida por Deus. Deus é um Ser organizado e o ceu também é organizado. Querubins e “arcanjos” não foram separados para proteger o homem em particular; O salmo 34.7 diz: “O anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que o temem, e os livra”. O texto diz o anjo. Deus pôs os anjos em suas funções específicas e não podemos ignorar isso como se o ceu fosse uma desordem.

2. Nós salvos, seremos como Deus, eternos!

Não seremos eternos, pois já somos imortais. Estaremos sim na eternidade com Deus. Aleluia! É eterno o que não tem começo nem fim.  Aquilo que é eterno é incriado. Somente Deus é eterno. Já o imortal é aquilo que tem começo mas não tem fim. Tudo aquilo que é imortal é criado.  O homem, ao nascer, é, portanto, uma simples criatura de Deus.   É, porém, uma criatura especial, porque tem a possibilidade de se tornar filho de Deus. Lembramos que Jesus possui a mesma natureza do Pai, por isso Jesus também é eterno.

3. Cristo é vida!

João 14.6 diz “a vida”. Quando falamos que Cristo é vida estamos em acordo com o panteísmo que prega: A natureza é vida, o animal é vida, tudo é vida, Cristo é vida! Tudo é divino, tudo é Deus.

4. A trindade? Três manifestações de Deus!

A trindade são Três Pessoas e não manifestações. Foi isso que tentou fazer Sabélio (180-250) um dos mais destacados hereges primitivos. Sabélio ensinava que havia uma única essência na divindade, contudo, rejeitava o conceito de três Pessoas em uma só essência. Afirmava que isso designaria um culto “triteísta”, isto é, de três deuses. A questão poderia ser resolvida, afirmava, pelo conceito de que Deus se apresentaria com diversas faces ou manifestações.
Fiz uma pesquisa em certa igreja local e descobri que 70% dos membros acreditam no ensino acerca da trindade, mas não sabem explicar com clareza e ainda, cometiam erros.

5. Deus morreu na cruz por você!

Deus não morre e sim o homem. Por isso que Jesus foi Deus - homem. A sua morte revela sua condição humana. E Deus o ressuscitou. O sentido da palavra Deus na Bíblia é essência, substância e natureza divina. Jesus morreu na condição de homem e não de Deus.

6. A Bíblia contém a Palavra de Deus.

Se você diz que a Bíblia contém a Palavra de Deus, está afirmando que outros livros como Alcorão, Princípio Divino (Moonismo), A Bhagavad Gita (Livro Hindu) e outros, contém também a Palavra de Deus. A Bíblia não contém a palavra de Deus, ela é a Palavra de Deus.

7. Um dia todos nós morreremos!

Se a Igreja for arrebatada, “num momento, num abrir e fechar de olhos, ao som da última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos serão ressuscitados incorruptíveis, e nós seremos transformados. 1ª Co. 15.52. Os salvos que estão vivos não precisarão morrer para subir.

8. O Espírito Santo é o fogo de Deus!

O Espírito Santo é Espirito Pessoal, ou seja, o fogo é símbolo do Espírito Santo, e não o próprio. Alías, tem muita gente tratando o Espírito Santo de forma manipulada.

9. Oremos: ...em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, amém.

Jesus mandou orar em seu nome: “e tudo quanto pedirdes EM MEU NOME, eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. Se me pedirdes alguma coisa EM MEU NOME, eu a farei”. João 14.13,14

10. Sai demônio! Pelo sangue de Jesus.

O sangue de Jesus não foi derramado para expulsar demônios e sim para remissão dos pecados. Mas Jesus disse: em meu nome expulsarão demônios.” (Marcos 16.17)

Continuemos defendendo a fé no poder do Espírito!.

10 comentários:

  1. Esse é o meu Professor!!!
    Parabéns pelo rico conteúdo exposto!!!

    Daianny Araujo.

    ResponderExcluir
  2. Estimada Teóloga, Obrigado pela atenção. E lembre-se: A melhor maneira de continuar aprendendo é ENSINANDO!

    ResponderExcluir
  3. Parabéns Teólogo Belmonte.Muito bom o texto. Somos desafiados a defender a fé Cristã diante das falsas doutrinas que tem se infiltrado em nosso meio.O exemplo está na teologia da prosperidade que de forma sorrateira tem enganado muitos crentes.que posamos prosseguir nessa grande missão.

    ResponderExcluir
  4. Que Deus, dia a pós dia levante mais homens como o senhor Pr. Belmonte, que defenda a verdade do evangelho de Cristo Jesus.

    ResponderExcluir
  5. Obrigado a todos vocês pelo carinho e reconhecimento. Sei que cada um de vocês tem um potencial dado por Deus que irá alcançar vidas.

    ResponderExcluir
  6. BREVE CRÍTICA AL PROFETISMO JUDÍO DEL ANTIGUO TESTAMENTO: La relación entre la fe y la razón expuesta parabolicamente por Cristo al ciego de nacimiento (Juan IX, 39), nos enseña la necesidad del raciocinio para hacer juicio justo de nuestras creencias, a fin de disolver las falsas certezas de la fe que nos hacen ciegos a la verdad mediante el discernimiento de los textos bíblicos. Lo cual nos exige criticar el profetismo judío o revelación para indagar la verdad que hay en los textos bíblicos. Enmarcado la crítica al profetismo judío en el fenómeno espiritual de la trasformación humana, abordado por la doctrina y la teoría de la trascendencia humana conceptualizada por la sabiduría védica, instruida por Buda e ilustrada por Cristo; la cual concuerda con los planteamientos de la filosofía clásica y moderna, y las respuestas que la ciencia ha dado a los planteamientos trascendentales: (psicología, psicoterapia, logoterápia, desarrollo humano, etc.), y utilizando los principios universales del saber filosófico y espiritual como tabla rasa a fin de deslindar y hacer objetivo “que es” o “no es” del mundo del espíritu. Método o criterio que nos ayuda a discernir objetivamente __la verdad o el error en los textos bíblicos analizando los diferentes aspectos y características que integran la triada preteológica: (la fenomenología, la explicación y la aplicación, del encuentro cercano escritos en los textos bíblicos). Vg: la conducta de los profetas mayores (Abraham y Moisés), no es la conducta de los místicos; la directriz del pensamiento de Abraham, es el deseo intenso de llegar a tener: una descendencia numerosísima y llegar a ser un país rico como el de Ur, deseo intenso y obsesivo que es opuesto al despego de las cosas materiales que orienta a los místicos; es por ello, que la respuestas del dios de Abraham son contestatarias de los deseos del patriarca, y no tienen nada que ver con el mundo del espíritu. La directriz del pensamiento de Moisés, es la existencia de Israel entre la naciones a fin de llegar a ser la principal de todas, que es opuesta a la directriz de vida eterna o existencia después de la vida que orienta el pensamiento místico (Vg: la moradas celestiales, la salvación o perdición eterna a causa del bien o mal de nuestras obras en el juicio final de nuestra vida terrenal, abordadas por Cristo); el encuentro cercano descrito por Moisés en la zarza ardiente describe el fuego fatuo, el pie del rayo que pasa por el altar erigido por Moisés en el Monte Horeb, describe un fenómeno meteorológico, el pacto del Sinaí o mito fundacional de Israel como nación entre las naciones por voluntad divina a fin de santificar sus ancestros, su pueblo, su territorio, Jerusalén, el templo y la Torah; descripciones que no corresponden al encuentro cercano expresado por Cristo al experimentar la común unión, la cual coincide con la descrita por los místicos iluminados: “El Padre y Yo, somos una misma cosa”. Las leyes de la guerra dictadas por Moisés en el Deuteronomio causales del despojo, exterminio y sometimiento de las doce tribus cananeas, y del actual genocidio del pueblo palestino, hacen evidente la ideología racista, criminal y genocida serial que sigue el pueblo judío desde tiempos bíblicos hasta hoy en día__ Discernimiento que nos aporta las pruebas o elementos de juicio que nos dan la certeza que el profetismo judío o revelación bíblica es un mito perverso semillero del mal que enerva a sus seguidores provocándoles alucinaciones, enajenación, histeria y paranoia, impidiendo su desarrollo espiritual. http://www.scribd.com/doc/33094675/BREVE-JUICIO-SUMARIO-AL-JUDEO-CRISTIANISMO-EN-DEFENSA-DEL-ESTADO-LA-IGLESIA-Y-LA-SOCIEDAD

    ResponderExcluir
  7. Se algum pagão perguntar o nome do nosso Deus o que devemos responder?

    ResponderExcluir
  8. Sendo Deus três pessoas distintas, iremos ver estas três pessoas no céu? Ou veremos somente Jesus, uma vez que Ele é a imagem de Deus?

    ResponderExcluir
  9. Sendo Deus composto de três pessoas distintas, iremos ver estas três pessoas no céu? Ou iremos ver Jesus que é a imagem de Deus?

    ResponderExcluir
  10. Por favor enviar resposta no meu email raimundo.amaral@hotmail.com

    ResponderExcluir